Fórum de Ideias | A Insegurança não é só no Feminimo

Muito se fala em combater as inseguranças das mulheres, em lutar pelo self love, pelo respeito e amor pelo nosso corpo, independentemente da sua forma/cor/marcas/whatever. Muito se falta em mandar os padrões de beleza às urtigas e sermos como somos, como queremos ser, sem ceder a pressões, e acima de tudo, a aceitarmo-nos e amarmo-nos assim, mesmo que estejamos num caminho até sermos a versão ideal de nós mesmas. Muito se fala nisso tudo, mas...


Homens, se andam por aí, pronunciem-se: e desse lado? Como está essa auto-estima? Como está esse amor-próprio, quando vêm todos os dias os anúncios de underwear masculina com rapazes carregados de músculos que nem sabíamos que existiam? Como está essa confiança quando vos metem pela goela abaixo que as mulheres só vão cair aos vossos pés quando vocês tiverem Aquele BMW ou Aquele Perfume, enquanto passeiam a vossa barba mega-hipster-mas-metrossexual-na-realidade-é-lumbersexual-porque-é-o-rótulo-que-lhe-dão?

Atenção, nada contra. Quem quiser ser super musculado, óptimo! Quem quiser ter barriguinha de cerveja, óptimo (mas oi, cuidado com esse fígado!)! Quem quiser ter um dad bod (diz que é uma das últimas modas), óptimo! Quem quiser ter a cara lavada ou uma barba que chega ao umbigo, óptimo!

O ponto essencial aqui é: porque é que se associa a insegurança num homem a uma mariquice, a fraqueza? A uma coisa efeminizada? E mesmo que fosse (que não acho que seja), qual era o problema nisso? 

O Buzzfeed tem feito uma série de artigos no âmbito da sua Body Positivity Week que têm chamado a atenção para pontos muito pertinentes. Porque é que escolhi este? Porque eu própria sou culpada deste tipo de estereótipos. Como feminista que me digo, há que reconhecê-lo. Há que reconhecer que eu própria gosto mais da característica x ou y num homem e acho que tenho o direito de lhe dizer que isto ou aquilo na imagem dele está mal, porque aparentemente ele não tem coração, n'é? Não, não é.

Ver este vídeo fez-me pensar. Fez-me pensar a sério nas coisas que eu digo e que, se me dissessem a mim, valiam uma ronda de insultos e possivelmente, quando sozinha em casa, uns minutos de contemplação ao espelho a pensar "porra, tenho que mudar isto e aquilo". Fez-me pensar nas vezes em que digo que a sociedade tem que parar de fazer pressão sobre as mulheres para serem assim e assado, ao mesmo tempo que não hesito em soltar um "eh lá, estás gordo!" com umas risadas pelo meio só porque acho que ninguém se chateia. Não se trata de ser "politicamente correcta", trata-se de não magoar o próximo com coisas que não trazem nenhuma vantagem nem a mim, nem a eles.


Não estou a tentar comparar problemas. Não estou a tentar dizer que as inseguranças dos homens são mais ou menos válidas do que as nossas. Mas até que ponto temos legitimidade para lutar pela nossa própria liberdade de nos amarmos, se depois acabamos por fazer o mesmo que criticamos, mesmo inconscientemente, como eu tenho feito?

O meu compromisso é: ter cuidado com o que digo. Respeito, acima de tudo. Se luto todos os dias para respeitar o meu próprio corpo, vou também fazê-lo com os outros - seja mulher ou homem! 

Qual é a vossa opinião sobre este assunto? Acham que os homens têm tantas inseguranças como nós, mulheres-rainhas-do-drama (estereótipo propositado acontecendo aqui!)? Acham que têm tanta liberdade para falar sobre isso como nós? 


15 comentários :

  1. Os homens têm inseguranças, mas têm mais dificuldade em manifestá-lo porque são logo julgados na praça pública. E acho que entre homens não há a mesma facilidade em falar sobre alguns assuntos que os mais preocupam e ai muitas vezes são problemas de funcionalidade (ex: um determinado orgão, se é que me entendes). E depois há os double standards da sociedade: se um homem pede ajuda para realizar uma tarefa mais árdua é um maricas, um sem jeito enquanto que se for a mulher a pedir ajuda para fazer a mesma tarefa é "compreensível" E há coisas piores, como a violência doméstica que, embora a sua maioria sej a feita contra mulheres, há homens que sofrem violencia domestica, física e piscologica, mas ninguem fala sobre o assunto, eles não têm forma de perceber e as mulheres usam o poder de coitadinhas para se defender em tribunal (ex: arpesentam queixa de abuso sexual do pai contra os filhos ou arranjam uma nodao negra para dizer que ele lhe bateu porque é muito mais "credível" que isso aconteça)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Concordo perfeitamente com os double standards que referes: parece que mostrar que se é um ser humano é logo sinónimo de não seres "homem". A sociedade ainda tem muito que aprender, tanto relativamente à imagem, como à interpretação de violência, como à noção do papel dos homens e mulheres na sociedade. Temos que aprender a ser Humanos!

      Eliminar
  2. Thank you for this post
    Come to visit me

    ResponderEliminar
  3. Experimenta, tira foto e diz.me o que achaste :D Acho que vais adorar!

    Eu sou extremamente inseguro e, embora comece a ter mais auto-estima, creio que ainda não é a suficiente para gostar de mim a cem porcento. Ainda assim, não me deixo intimidar por A, B ou C que aparentem ter melhor aspeto. Cheguei à conclusão que somos mais de que um corpo e que nos devemos começar a focar mais nisso.
    Denoto, no entanto, que a sociedade faz muita coisa de forma inconsequente que deita muita auto-estima de muitos Homens abaixo!

    NEW OUTFIT POST | Grey Degradé.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tu és um exemplo de bom caminho! Somos mais do que o nosso corpo. E temos muito que aprender no que toca à nossa relação com o próximo!

      Eliminar
  4. É de louvar uma rapariga abordar este tema da perspectiva masculina! Já o referi algumas vezes e pretendo continuar a bater na mesma tecla, os homens sofrem dos mesmos problemas de auto-estima, complexos e por aí fora, que o sexo oposto. Fala-se sempre do mesmo, como a sociedade criou padrões absurdos de beleza para as mulheres mas, e os homens? Será que ninguém entende que é igual? O típico indivíduo masculino não tem a fisionomia de um modelo da Abercrombie & Fitch. Enquanto para as mulheres o principal requerimento passa por "ser magra", no caso dos rapazes já não é assim. Têm que trabalhar a sério para ter o corpo de um Deus grego, caso contrário "meh, não é hot". Ridículo. O mais interessante no meio disto tudo é que as mesmas pessoas que se queixam por causa das pressões de beleza/corpo, são precisamente aquelas que julgam os outros por não terem um six-pack ou uma barriga lisa. Podia ficar horas a falar deste assunto mas acho que abordaste correctamente e de forma concisa o assunto :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Boa, Ricardo! Acho óptimo abordares a questão porque pelo que vejo, nem que eu puxe pelo assunto os rapazes à minha volta se descosem. Há estigma, há pressão, e parece que vocês têm a obrigação de comer, calar, e a seguir irem para o ginásio para se tornarem do Deus Grego de que falas. Ridículo!

      Eliminar
  5. Os padrões de beleza afectam a todos. Todos temos ideais de beleza que queremos alcançar, sejamos homens ou mulheres e causa sofrimento igual aos dois géneros não chegar lá, não parecer aquilo que achamos que devemos parecer. E parece-me que o que está errado é nos convencerem que temos que parecer isto ou aquilo. Temos que ser muito críticos para lutar contra isso a aceitarmos estar bem com o que temos ou, se quisermos melhorar, que seja por nós e não pelos outros. Os homens sofrem sempre dum mal maior: são supostamente os sexo forte. Portanto homem não reclama e homem não chora. Errado, mas traz problemas acrescidos. No fundo homens e mulheres ainda temos muito que lutar, ainda que por motivos diferentes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Homem não reclama e homem não chora" - tocaste na questão fulcral aqui, para além do óbvio de ninguém ter nada que fazer julgamentos sobre a imagem de outra pessoa. Força não é ficarmos calados. Força é assumirmos que não gostarmos de x ou y mas termos a coragem de lutar por aceitar/mudar isso por nós!

      Eliminar
  6. Even though it's not as much discussed, men also get body shamed. We should be nice to everyone and most importantly choose our words wisely, cause they can hurt.

    xo
    www.carinavardie.com

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Precisely, Carina! Choose our words. That's my objective now, to be more careful and to take in consideration that all of us have our insecurities! Thank you for your comment!

      Eliminar
  7. Excelente texto!
    Acho que os homens tem inseguranças. Tantas ou mais do que as nossas, mas os estereótipos da sociedade não lhes permitem revelar essas "fraquezas", nem lhes dar o direito de as ter.
    Não diria melhor.

    Beijinho

    http://princesasemtiara.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Ângela! É mesmo isso. E cabe a todos mudarmos esse pressuposto! *

      Eliminar
  8. Confesso que nunca me tinha debruçado sobre este assunto. De facto, haverá, por certo, homens que sentem as mesmas inseguranças e que levam as mesmas 'facadas' na auto-estima como nós, mulheres. E isso é desvalorizado. Pode mesmo dizer-se que se trata de mais um estereótipo - o de que os homens não se sentem inseguros só porque são homens. Mais uma excelente reflexão Joana, parabéns :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Catarina! Eu própria só comecei a tomar consciência disto recentemente, e este vídeo foi mesmo a gota de água. É o eterno estereótipo do "sexo forte" em acção - há que contrariá-lo e assumir que somos todos feitos da mesma matéria!

      Eliminar