Travel + Photo | Alto Douro Vinhateiro

Se seguiram as minhas aventuras no Instagram provavelmente puderam reparar que passei dois dias no Douro há umas semanas - e que bela forma de recarregar baterias!

Fotografia de José Santos - há várias ao longo do post, todas assinaladas. Está um artista!
É impressionante como tomamos aquilo que está mais perto como certo. Posso dizer que conheço bem quase todas as zonas de Portugal, mas o Douro era dos poucos sítios dos quais não tinha memórias nenhumas, embora os meus pais afirmem que já o exploramos quando eu era mais pequena. Assim, aproveitamos os dias de pausa para nos deixar levar no verde infinito dos montes, vales, socalcos e quintas até perder de vista. E hoje, ao ver metade do país a arder, vejo estas fotos e dou ainda mais valor ao verde sem fim que tive o privilégio de ver. A propósito, vejam aqui como podem contribuir para uma recolha a recolha de fundos "Cáritas ajuda a Madeira"!

Deixo-vos a reportagem fotográfica do nosso percurso. Saímos do Porto cedo e percorremos a EN 222 e a EN 108 até à Régua - uma viagem calma, recheada de pequenas vilas e aldeias e com um ambiente rural que não deixava adivinhar que ainda não estávamos longe do Porto. Quando apareceram os primeiros miradouros com socalcos à vista houve uma batida ou outra que saltaram no meu coração. O cruzamento entre o Homem e a Natureza parece tão perfeito aqui, que poderia ficar horas a vê-lo sem me cansar.

RÉGUA

O Peso da Régua é um oásis dos tempos modernos no meio do ambiente rural. Uma cidade cheia de turistas e, ainda assim, calma q.b. para que possamos observar a outra margem, verde mesmo no pico do Verão, e para que possamos aproveitar um piquenique à beira rio. Não deixem de passear pela sua zona mais antiga, de observar a bela ponte pedonal e de dar uma oportunidade aos óptimos restaurantes que ladeiam a avenida principal (honestamente nesta zona acho que podem comer em qualquer lugar, que vai ser sempre bom!).





Não visitamos nada em especial aqui. Reservamos a tarde para relaxar na piscina, portanto o tempo restante aproveitamos para passear pelas ruas com calma e fugindo ao calor que caracteriza o interior nestas alturas.




EN 222

Sim, vou contar isto como um "destino" só por si. Não é à toa que esta foi considerada a "melhor estrada do mundo" no troço entre a Régua e o Pinhão. Eu conduzi em grande parte, trocando com o Zé aqui e ali, e confirmo, é excelente de se fazer para quem gosta de conduzir com uma vista belíssima e com muita fluidez. Para além do Pinhão e até Foz Côa é uma estrada sinuosa e estreita - my favourite! E sempre com paisagens de cortar a respiração. Não há palavras que a descrevam bem, por isso deixo-vos com algumas imagens que não passam de forma nenhuma a beleza real destes vales.


Fotografia de José Santos
Fotografia de José Santos




MUSEU DO CÔA

Se tiverem oportunidade, vale bem a pena a viagem para fazer a visita ao Museu do Côa - confesso, não visitamos a vila, porque a hora de saída do Museu já não o permitiu (mas pareceu-me bem simpática, embora parada).

Recheado de História, permite conhecer a evolução da Arte Rupestre e das comunidades que habitavam esta zona, com detalhes que não conhecia de todo. Para além disso, a minha alma de engenheira civil com pézinho na arquitectura ficou maravilhada com o edifício - por norma nem gosto muito destas configurações "cruas", mas este museu parece enquadrar-se com a paisagem de uma forma tão imponente e, ao mesmo tempo, harmoniosa, que roça o perfeito. A prova disso é o prémio de arquitectura com o qual já foi premiado. Fica a vontade de voltar com mais tempo - e menos calor - para fazer os percursos que nos levam até às pinturas ou, talvez, uma visita nocturna! Opções não faltam!








Caso lá vão, fica a dica: vão a pé até ao heliporto mais abaixo. Parece um percurso descuidado, mas vão. Vão ser presentead@s com uma paisagem que...não consigo descrever. Vão lá, e absorvam tudo. A luz, os sons, o vento, e até o calor. Tudo!




Nunca pensei que umas mini-férias - mini mesmo, foi só uma noite fora de casa - fossem capazes de me deixar com as baterias carregadas desta forma. Mas deixaram mesmo. Descanso, descoberta, e paisagens bonitas na medida certa. Temos mesmo que dar mais oportunidades a estes pequenos passeios cá por dentro!


E vocês, já conhecem o Douro? Ou são como eu que, estando a hora e meia de distância, não conhecia o tesouro que tinha ao lado de casa?


18 comentários :

  1. Tenho família no Peso da Régua e vou lá algumas vezes por ano. Adoro adoro adoro!! É ótimo para recarregar baterias e as pessoas são super simpáticas :)

    Beijinhos, xx
    mylittlecorner7.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que sorte, Andreia! Que bom! Eu honestamente acho que vou começar a ir para estes lados mais vezes :)

      Eliminar
  2. Já andei por alguns desses sítios: Régua, Lamego, Vila Real e fiquei alojada na Quinta da Cumieira onde passei os dias mais relaxantes de que tenho memória. O douro vinhateiro tem uma envolvência absolutamente fenomenal e vale sempre a pena conhecer.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A questão de envolvência acho que é mesmo a chave. Parece que somos um só com a Natureza e o Homem, com toda a sua capacidade de mudar o Mundo sem o destruir.

      Eliminar
  3. Amei as paisagens e as fotografias :)

    ResponderEliminar
  4. Portugal é tão mas tão bonito e tu conseguiste mostrá-lo na perfeição com estas fotografias.:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Daniela! Temos tanta coisa bonita para ver por cá :)

      Eliminar
  5. No ano passado andei por essa mesma estrada e estive na Régua também! As paisagens são de cortar a respiração e a sensação de paz interior quando as contemplamos é indescritível. Este ano gostava de lá voltar (tal como tu, estou a uma mísera hora/hora e meia de distância) mas com as férias a acabar não sei se irei conseguir...!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Paz interior, é mesmo isso :) acho que há poucos lugares capazes de nos fazer sentir assim! Vai, aproveita um Domingo ahah :D

      Eliminar
  6. No ano passado quando ainda vivia na linda cidade do Porto resolvemos ir passar um fim de semana ao Douro. Eu fiquei fascinada, apaixonada, sem palavras, e' para mim uma das zonas mais bonitas de portugal.
    Nos fizemos do baixo corgo ao douro superior no ano passado, mas nao tive oportunidade de ir ao museu de foz coa.
    Adoramos tanto que este ano voltamos por uma semana, desta vez nao passamos muito alem do pinhao.
    Verdade seja dita nos tambem somos uns verdadeiro wine lovers e por isso ainda gostamos mais...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah que maravilha! Por acaso não sou muito dada a vinhos, portanto nem entrei por essa área do turismo aqui da zona, mas não tenho dúvidas que deve ser fascinante para quem gosta!

      Eliminar
  7. Sim, tudo depende das necessidades de cada pessoa :D Isso é bom :D

    Ora portanto, estiveste mesmo pertinho de Lamego e nem me vieste fazer uma visita ahaha :P Está mal, muito mal!
    A zona é linda, sim, mas as fotos estão de cortar a respiração!

    NEW REVIEW POST | Yves Rocher: Illuminator Pencil and Radiant Youth Concealer
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  8. Registo fotográfico fabuloso, parabéns! Conheci o Douro na primavera passada, e apesar de ter adorado os montes cobertos de socalcos, a secção que me deixou mais impressionada foi o Douro Internacional. É monstruosamente belo :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Dessa secção só fiquei "à porta" - Foz Côa já me deu uma vista que não me deixa duvidar disso!

      Eliminar
  9. Não conhecia o Douro, mas fiquei completamente rendida às tuas fotografias! <3 Tenho de organizar uma viagem para lá! :P

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tens mesmo, Carol! Acredita que é de cortar a respiração, e a paz que se vive por lá é no mínimo contagiosa :)

      Eliminar