#causemyfriendssaidso | A banalidade da palavra "Amor"

A banalidade da palavra "Amor" foi o tema que os meus quatro fantásticos me propuseram. Mesmo a ver se fazem de mim uma pessoa negra e pessimista. Mas não lhes vou fazer a vontade!

A verdade é que seria muito fácil dar aqui uma de velha do Restelo e começar a falar das vezes em que, em adolescente, dizia "amo-te" aos meus amigos - ao amigos e aos "amigos" - com a mesma facilidade que dizia "até amanhã". Sim, eu era dessas, escrevia "amu-t*". Ou coisa do género, não me lembro. Mas não usava "amu-teh!", ao menos isso! Ou falar daqueles casais que no final do primeiro dia já dizem que se amam loucamente. E talvez até amem, sei lá eu.

T-shirt - c/o Rose Wholesale

Mas não quis ir por aí. A verdade é que, num mundo tão desprovido de amor como o nosso tem sido nos últimos tempos, acho que é melhor distorcer um pouco as palavras e olhar apenas para os significados que me dão jeito. Se tomarmos banal como sendo algo comum, normal (e sim, vou retirar-lhe a conotação negativa porque posso, porque sou eu que estou a escrever), afirmamos que a palavra Amor é uma palavra comum. Que está em todo o lado. E está, só temos que olhar com atenção.



Aquele beijo carinhoso de manhã, quando estamos com a nossa pior cara - vindo da nossa cara metade, da Mãe, do Pai, dos filhos, ou de quem quer que goste de nós. Aquela SMS a desejar bom dia que sabemos que equivale a um beijinho na testa e que sabe melhor do que outra qualquer.



A comida na mesa, a roupa lavada, o "então como foi o teu dia?" quando chegamos a casa estourad@s e alguém nos recebe de braços abertos e sorriso no rosto - no meu caso, a minha Mãe, que me atura todos os dias. Os ouvidos atentos quando precisamos de desabafar porque o mundo parece cair-nos em cima, e a certeza de que se nós cairmos com o peso dele há alguém lá em baixo para nos amparar e nos levantar de novo.




Os bichanos que teimam em escolher o nosso colo como o pouso perfeito, ou que não conseguem separar-se de nós nem por um segundo, mesmo que isso implique desconforto. Os gestos de cuidado e carinho que definem a palavra "Casa".



Os pequenos gestos, aparentemente cliché, aparentemente pirosos, mas recheados de carinho e significado. Os "como estás?" quando sabemos que algo se passa. Os "estou aqui" quando não há palavras que queiram sair, e os abraços que sabemos que são certos quando mais precisamos. A certeza de que, por muitos anos que passem, há coisas que não mudam e pessoas que estão sempre lá quando precisamos. Os cafés marcados em cima da hora, ao final de um dia em que tudo correu mal, que são capazes de nos encher o coração e a alma de energia para enfrentar o mundo.

A palavra Amor está em todo o lado. Basta estar atent@. :)

Isto do #causemyfriendssaidso não pode ser só brincadeira! Fica a hashtag deste mês, claramente orientada para a minha faceta de mal-humorada, à qual eu fugi muahahahah: #nomeutemponaoeraassim!


22 comentários :

  1. todo o amor é válido desde que venha sem contrapartidas :)

    ResponderEliminar
  2. Ai o amor, há tanto para dizer mas nada melhor do que o sentir!
    Adoro a t-shirt *.*
    Beijinho

    http://sosweetgirlythings.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. Adorei o post, a maneira que te expressaste e que disseste o que achas!
    p.s- adorei a tshirt!
    Beijinhos,
    BabyLú
    http://www.luciaffmoreira.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  4. Que post mais bonito, mais rico! No melhor sentido da palavra. <3

    Sabes que penso assim, e que o advogo, muitas vezes.
    Não "gasto" a palavra, guardo-a qual tesouro. Tal como torno o sentimento mais precioso com os anos :)

    Beijinho,

    ResponderEliminar
  5. Post giro com fotos giras e camisola fofa :)
    Kiss

    www.inspirationswithm.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. E falaste muito bem! O amor está em todos esses gestos que podem parecer pequenos, mas são beeeem grandes... Eu tento dar valor a todos eles, forçando o mau humor a ir pregar para outra freguesia...nem sempre é fácil! Hehehe

    Gostei das fotografias, gostei da tua abordagem "indoor"...e dos teus felinos catitas *.*

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  7. Sim, por vezes torna-mos mais banal a palavra acabando por falar mais do que realmente vivemos. Mas tal como disseste o banal pode ser bom se formos capazes de realmente ver e viver o amor nas pequenas coisas!:)

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  8. P.S. : Essa t-shir é maravilhosa!:p

    Another Lovely Blog!, http://letrad.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  9. O post está um máximo! Viva o amor!

    Beijinhos,
    Inês - http://www.indiglitz.pt

    ResponderEliminar
  10. Verdade, recebemos amor de imensas formas, só temos que saber recebê-lo.

    ResponderEliminar
  11. O amor está em todas as pequenas coisas... Mas essas coisas são tantas!

    Adorei o texto :)

    Um beijinho gigante | http://anetadaluisa.blogs.sapo.pt/

    ResponderEliminar
  12. Quero muito essa t-shirt!
    Love, M
    www.blackrosebyannluck.com

    ResponderEliminar
  13. O teu post é um mimo gostei mesmo muito.
    O amor encontra-se nas coisas simples e mais importantes para nós.
    Beijinhos!
    http://grandesonhadorablog.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  14. Num dia particularmente menos bom, fiquei com os olhos marejados de lágrimas ao ler isto! Sou tão grata por viver rodeada de pessoas que me amam e que eu amo...e é esse amor que compensa os alguns desamores que vão surgindo...!

    ResponderEliminar
  15. Que belas palavras, o amor da familia e a amizade dos amigos são sempre especiais :)
    Beijinhoo
    RITISSIMA BLOG

    ResponderEliminar
  16. É caso pra dizer Love is in the air? Hehehhe, tinha que dizer :p

    ResponderEliminar
  17. Está em todo o lado e nas mais pequenas coisas. :)

    ResponderEliminar
  18. Adoro, adoro, adoro! Também acho que o amor está nas coisas mais pequenas, está naquilo que nós quisermos, aliás
    Kiss, Mariana Dezolt
    Messy Hair, Don’t Care

    ResponderEliminar
  19. adorei a maneira como interpretaste o tema, concordo plenamente a adorei!
    beijinhos

    http://umacolherdearroz.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  20. Opá lembro-me tão bem da mania de dizer "amt" ou "amute" às BFF que vinham como novidade a cada ano lectivo!
    A tua introdução, em contraste com o resto do texto, só me fez pensar que os que mais amamos são aquelas a dizemos menos essa palavra. Realmente é com o carinho e os gestos do dia-a-dia que o expressamos.

    Marta Rodrigues, Majestic

    ResponderEliminar
  21. Epá adorei isto a um nível elevadíssimo! A publicação está incrível e confesso que dei por mim a derreter por dentro por viver momentos que identificas por aqui!! <3

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar