Outfit + Personal | The Biggest Summer

Este post é um misto de celebração ao Verão com celebração a mim mesma. Demasiado presunçosa? Acho que não! Continuem a ler para perceber tudo!

Ia ser um outfit post perfeitamente normal até eu ter dado conta que há uns anos eu nunca, mas nunca, publicaria fotos destas numa plataforma "sem controlo". E não é por questões de privacidade nem nada disso. Estas fotos há uns anos atrás eram capazes de me tirar o sono e fazer chorar porque "tenho celulite nas pernas e banhas nas costas" (e provavelmente mais uns quantos defeitos que eu ia fazer questão de colar em mim mesma).


Swimsuit - Ebay | Shorts - DIY | Sunglasses - Parfois
Fotografia de José Santos
Estou neste momento com o maior número na balança que já tive. Já estive em pior forma, é certo, mas isso foi na adolescência, enquanto ainda não tinha o meu corpo "definido", por isso estou só a contar com a minha fase adulta. Sim, estou o mais pesada que já estive. E fora de forma também, confesso. Ando uma autêntica lontra comilona nos últimos tempos! E é óbvio que notei os "defeitos" de que falei lá em cima, caso contrário esta reflexão nunca me viria à cabeça. O que mudou foi mesmo a minha atitude perante essa constatação.


Estou gorda? Sei lá eu, e honestamente, o que é isso? Sou saudável e sinto-me bem na minha pele. Acho que não estou "gorda" no sentido pejorativo da palavra, portanto. Se estou perfeitamente satisfeita com o meu corpo? Não, mas isso não me tira o sono de maneira nenhuma. Porque não interessa - a sério. Apanho-me muitas vezes a olhar para o espelho e a pensar "hum, já te mexias um bocadinho, Joana!" e a rir-me de seguida e a ficar orgulhosa da mulher em que me tornei porque, apesar de pensar isso e de querer melhorar os meus hábitos, já não dou por mim a ficar triste ou a medir e a testar como seria se tivesse a minha "barriga de sonho" ou se não tivesse celulite. Porque tenho. É um facto e até quando estou mais magra a tenho, por isso não vale a pena estar a bater no ceguinho, e se não vejo mal nenhum nisso nas outras pessoas, não tenho que ver em mim.

Não julgo quem se sente mal com isto ou aquilo no seu corpo, porque já por lá passei (e ainda passo às vezes!) - e pensando bem, acho que nem tinha sequer grande razão para sofrer tanto assim com estas questões. Mas sabemos que a adolescência é horrível. Qualquer "imperfeição" é o nosso passaporte para uma vida miserável, sem amigos, namorad@s, roupas giras e tudo isso. Só que não. O pior é quando essa insegurança se prolonga para além da adolescência, ou quando não temos as companhias e o apoio certo. Aí a coisa complica porque a nossa percepção de nós mesmos fica vidrada pela imagem que criamos no nosso próprio espelho mental - porque nesse, por muito que mudemos por fora, se não fizermos o esforço de mudar por dentro, somos sempre só defeitos. E posto isto, a quem pensar assim, pergunto: dirias a outra pessoa as coisas que dizes a ti mesmo? Não, pois não? Então porquê seres o teu maior inimigo?



Olhemos pela nossa saúde. É preciso ter cuidado com a alimentação porque nós somos o que comemos, e ninguém quer ser um pacote de batatas fritas do McDonald's. É preciso fazer exercício porque é horrível subir um lanço de escadas e chegar ao topo com um pulmão a saltar fora - e nisto eu sei muito bem do que falo! Há que fazer o esforço pela nossa saúde e pela imagem que gostaríamos de ter, mas sem nunca obcecar com isso - há tanto mais para aproveitar na vida do que passá-la a perseguir os padrões idiotas que as revistas nos enfiam pela goela abaixo todos os dias!

Estou a generalizar, claro. Cada caso é um caso, e tod@s temos os nossos problemas, as nossas inseguranças, por mais injustificadas que sejam. Mas é importante enfrentá-las, lutar contra elas, e evitar ao máximo alimentá-las. Também tenho os meus dias negros, não sou perfeita de maneira nenhuma, mas felizmente sou muito mais do que o meu corpo - e até esse é meu amigo por nunca se ter ido abaixo mesmo quando o trato mal!

Sabem o que vos digo? É Verão, toca a ir apanhar banhos de sol!

PS.: Por favor ignorem o escaldão no ombro e usem protector solar se forem conduzir durante muitas horas seguidas. Just sayin'!


50 comentários :

  1. Adorei :) Compreendo tanto o que escreves. Nos últimos anos tenho parado progressivamente de tentar ter o "corpo perfeito" - que, diga-se, não existe, já que arranjamos sempre algum defeito - e apenas tentar ser saudável, estar minimamente em forma e aceitar tudo o resto. Não tenho o corpo mega definido? Paciência. Mas sou saudável e na verdade isso é que importa. No entanto, admito que ainda tenho coisas a melhorar. Sou aquela pessoa que ainda torce o nariz a usar calções, por exemplo (coxas com carne, haha). Uso, mas não uso com toda a confiança. No entanto, aos poucos a coisa está a mudar e também já não perco o sono a pensar no assunto. Até porque se deixarmos de pensar nessas coisas acabamos por nos concentrar naquilo que é realmente importante - e que nada tem que ver com abdominais definidos.

    Aonde (não) estou

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa perseguição do "corpo perfeito" nunca dá bom resultado, porque raramente alguém consegue chegar ao *seu* corpo perfeito! O foco tem mesmo de ser esse - aceitarmo-nos aos pouquinhos :) confesso, também é muuuuuito raro andar de calções - afinal de contas, se falo nesses "defeitos" é porque os noto e porque eles me vão moendo o juízo, mas, se apetecer, uso e pronto! Que todos vejam as minhas coxinhas gordichonas à vontade eheh :D

      Eliminar
  2. Gostei tanto, mas tanto (!), deste post! Sei perfeitamente como te sentes porque também nunca me senti tão confiante agora. Parece que finalmente aquela ideia mítica da maturidade fez luz. Por acaso tenho feito imenso exercício e me alimentado melhor, mas finalmente foi uma escolha saudável e não uma escolha porque me sentia mal comigo mesma ou afins. Portanto força nisso :P

    Glamour in a Bottle

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que passa muito por aí, honestamente :p a idade traz sabedoria! Mas confesso, também tive a sorte de apanhar pessoas boas e inteligentes pelo caminho, que me ajudaram a ver-me pelo sou como um todo e não só como sou por fora. Haja saúde, o resto é acessório!

      Eliminar
  3. Respostas
    1. Nósky <3 andamos tod@s ao mesmo!

      Eliminar
    2. lembro-me de ter vindo comentar este post na altura e de o achar inspirador porque acho que mostra a posição mais equilibrada entre estética e saúde. todos anos mal aparece um raio de sol toda a gente começa a falar na dieta, no juicing, nos exercícios localizados que são um milagre ó. mas ninguém fala de ser saudável, feliz sem chicote nem pt, satisfeito dentro de um continuum de saúde. e tu falaste :) obrigada em agosto de 2016 e em maio de 2017 :)

      Eliminar
  4. High five Joana! Estás masé toda boazona! <3

    ResponderEliminar
  5. Adorei e identifico-me tanto.
    Estou longe de ser "magra" e sei que nunca o serei, gosto de comer e olhem desculpem lá...
    Mas sinto-me melhor desde que comecei a fazer mais exercício e a ir ao ginásio, (coincidiu com o final da faculdade, e acho que isso contribuiu ou foi uma desculpa para nos "matar um pouquinho") e lá tento superar a mim mesma em pequenas coisas, nem que seja acrescentar mais 1,25 kg na barra. E guess what? subo um lanço de escadas e já não me salta um pulmão fora. Sei que há muita coisa a melhorar mas aos poucos lá chegarei, espero eu.

    E tu estás tão gira ! Adoro esse fato de banho e como te fica :)
    Beijinho grande

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. "Estou longe de ser "magra" e sei que nunca o serei, gosto de comer e olhem desculpem lá..." É TÃO ISTO, MULHER! Ahah :D Sim, confesso que também me sinto melhor quando me mexo - daí falar várias vezes nisso ao longo do post - mas lá está. Baby steps, e sem obcecar com isso! Obrigada <3 Um beijão!

      Eliminar
  6. Ai Joana, que maravilha de post e que palavras tão inspiradoras. Revi-me muito nelas, especialmente neste bocado:

    "Apanho-me muitas vezes a olhar para o espelho e a pensar "hum, já te mexias um bocadinho, Joana!" e a rir-me de seguida e a ficar orgulhosa da mulher em que me tornei porque, apesar de pensar isso e de querer melhorar os meus hábitos, já não dou por mim a ficar triste ou a medir e a testar como seria se tivesse a minha "barriga de sonho" ou se não tivesse celulite. "

    Estou longe de ser perfeita e, no entanto, nunca vivi tão bem com isso como agora. Só gostava de ter tido esta atitude em certos anos da minha adolescência, oh se gostava.

    Mas perfeições e imperfeições à parte, estás óptima, linda e com um ar incrivelmente feliz! <3

    Joan of July

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Cat! Acho que o que passei na adolescência foi mesmo o que me levou a escrever isto - e vejo que é padrão, deixamo-nos ir nas conversas da imprensa e de pessoas que até podem não dizer as coisas por mal (e que às vezes dizem, mas isso são outros quinhentos), e ficamos com a nossa auto-estima feita num caco. Viva a maturidade e as boas companhias! :)

      Eliminar
  7. Tambem passei por maus bocados na adolescencia e tambem nao estou na minha melhor forma. Mas longe vao os tempos em que eu me fechava em casa ou nao usava calçoes por causa da celulite nas pernas. O importante mesmo é uma alimentaºao saudave e exercicio fisico regular
    Por onde anda a Sofia?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ora aí está! :) Pela nossa saúde e não porque estamos assim ou assado!

      Eliminar
  8. Adorei o que escreveste!! Também tenho a zona do rabiosque e pernas bem mais robusta ahah do que o restante corpo e apresenta muitas estrias e celulite e digo-te que até este ano mal andava de calções por achar que todos olhariam para aquilo com vontade de se afastar, mas este ano encontrei o par de calções que adoro de fundo e decidi deixar tudo isso para trás!
    Beijinhos,

    https://try-to-be-a-rainbow-in-someones-cloud.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É isso mesmo! E o mais giro é que ninguém - pelo menos ninguém cuja opinião importe, só importa mesmo a tua - repara mesmo nisso. Baby steps!

      Eliminar
  9. Encontrei agora o teu blog e o primeiro post que vejo, fico logo a adorar o blog! Concordo imenso com o que escreveste, não interessam os "quilinhos a mais" se sabemos que somos saudáveis e nos sentimos bem connosco próprias! Nunca vamos estar satisfeitos com tudo, por isso, mais vale aproveitar a vida :)

    Segui o blog!

    Beijinhos, xx
    mylittlecorner7.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Andreia <3 antes de mais, sê muito bem-vinda e muito obrigada pelas tuas palavras! É mesmo, mesmo isso :) Um beijinho!

      Eliminar
  10. Adorei e não diria melhor!! Acho que a maturidade vai trazendo mais serenidade em relação ao nosso corpo. Se há uns anos me martirizava por ter a anca larga e as pernas mais gordinhas hoje em dia convivo perfeitamente com isso, até com a celulite que se vai acumulando aqui nos lados de baixo. Tento ser o mais saudável que consigo, tenho cuidados alimentares (por questões de saúde, caso contrário enfardava muito mais porcarias!!) e gosto de mim. Claro que, como bem dizes, há dias piores em que não gostamos daquilo que vemos no espelho, mas são dias de mau-humor e que logo passam. O importante é que cada pessoa se sinta bem como é, independentemente de tudo o resto!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É tão isso, Catarina! Ninguém está satisfeito a 100% - acho que faz parte do nosso caminho como seres humanos - mas há que ter a tranquilidade de ver isso de maneira positiva, e nunca como um problema. Haja equilíbrio! :)

      Eliminar
  11. Respostas
    1. Obrigada, Xica :) é tudo uma questão de atitude, é só querermos :D

      Eliminar
  12. Estás linda! E sim o que importa é sentirmo-nos bem mesmo. :D
    beijinhos, The Fancy Cats

    ResponderEliminar
  13. Ai a nossa mente, ela atraiçoa-nos de uma forma brutal! Sempre tive a sorte de ter uma auto confiança boa, mesmo na adolescência :D mas ultimamente ando triste com o meu corpo pois sinto me inchada, sem energia, com números bem grandes na balança e a culpa é minha que como muita porcaria e exercício nada. Logo, aqui a parte do sentir me saudável não se aplica. Agora, o que importa aqui é fazer algo sobre o assunto, se estou mal então está na altura duma mudança.

    E sabes porquê que gosto tanto dos 30? Isso mesmo, estas lixando pra toda a gente é começas a gostar a sério de ti, a tua felicidade passa a ser a prioridade... mesmo com uns kilinhos a mais :D

    By the way, estas óptima miuda! E obrigada por trazerem este assunto à baila!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. YES! É isso, Martinha! E calma, lá porque te sentes uma lontra não quer dizer que não estejas saudável, o mesmo se aplica a mim ahahah :p mas o exercício é sempre um óptimo boost de energia, não é??

      Ahah eu estou muito madura para a minha idade, então :D antes assim! É um gosto!!! <3

      Eliminar
  14. Admiro este teu post, de verdade! Em primeiro lugar, deixa-me dizer-te que alguém que olhe para estas fotos e diga que estás gorda não bate bem. Acima de tudo, pareces-me serena e feliz, e isso tem sempre que ser o mais importante. Mas, tal como dizia, admiro-te porque não sei se teria coragem de publicar fotos em que estivesse com um peso acima daquele a que estou habituada. Não é bonito de se dizer, mas parte da minha identidade esteve sempre associada a ser magra, é uma coisa de que sempre gostei mesmo quando me gozavam no ensino básico por ser "esquelética". De tal forma que sei que dificilmente engordarei devido à comida, mas morro de medo de histórias de pessoas que engordaram imenso a tomar medicamentos, por exemplo. Eu defendo e concordo que o peso não deve ter uma importância central na nossa vida, mas é fácil ter essa a opinião quando nunca se passou pela situação contrária, por isso parabéns pela descontração que eu provavelmente não teria. És linda! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Nádia <3 somos fruto das nossas experiências, não há como fugir a isso. Felizmente, conseguiste lidar com o "gozo" de uma forma saudável que te permitiu continuar a gostar de ti mesma! Por algum motivo não foi isso que aconteceu comigo durante uma fase da minha adolescência, mas felizmente o crescimento trouxe-me a serenidade suficiente para perceber que não é isso que me vai fazer mais ou menos feliz! (E permite que te diga que adorava poder comer sem engordar, embora nem me possa queixar muito tendo em conta que como imenso! Ahah :) )

      E a propósito, acho perfeitamente normal que aches que isso te define de alguma forma - é algo que gostas em ti, tens todo o direito a isso! Tal como eu gosto das minhas sobrancelhas e dos meus lábios, sei lá. É uma característica que é tua, e não é porque a sociedade anda numa de aceitar que ter uns quilinhos a mais é ok que toda a gente tem que os ter! :p Somos todas lindas :D

      Eliminar
  15. Já tive 62 agora peso 46, gosto mais daquilo que sou agora! Importa é nos sentirmos bem, seja com os quilos que for! Isso é que é a verdadeira vitória, gostar do que somos, sem medir centímetros ou pesar calorias! Adorei o teu exemplo!

    Facebook Ritissima Blog

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita, é assim mesmo, o que importa é gostares de ti e ter saúde, o resto é tudo treta! :)

      Eliminar
  16. E por acaso é mesmo. É super levinho para o verão :D Quando fizermos um meet eu levo ahahah :D

    Este género de posts mexe sempre comigo, tu sabes. A partir do momento em que te sentes bem contigo própria, nada mais importa. O nosso corpo nunca vai estar a 100%. Havemos de ter sempre falhas para apontar. A opinião dos outros pouco importa. Valemos pelo que somos :D
    És linda. Nunca te esqueças disso :')

    NEW OUTFIT POST | Be The One.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu sei, Miguel :) e a tua mudança de atitude é um exemplo a seguir! Gostares de ti é tratares-te bem, não é permitir que os "padrões de beleza" ditem como/o que deves ser. E tu és lindo e estás a revelar-te uma fonte de inspiração para muita gente! :)

      Eliminar
  17. Até podes estar com o teu "maior" peso, mas não és gorda, nem de perto. Penso que qualquer pessoa se pode identificar com esta publicação. Nunca conheci ninguém 100% satisfeito com o seu corpo. Há sempre alguma coisinha aqui e ali que se gostaríamos de mudar, mas valerá a pena levar a vida inteira a pensar nisso? Nah. Life's too short. Não digo que não tenha dias em que esses pensamentos me ocupem a cabeça, porque ocupam, mas tento meter essas ideias de lado. Desde que te sintas bem, o resto não interessa.

    P.S.: O cenário das fotografias parece ser fantástico :)

    Ricardo, The Ghostly Walker.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ricardo, obrigada pelo teu comentário! Vamos sempre ver "defeitos", isso é certo. A chave está na atitude que temos perante eles - é importante não lhes dar atenção que eles não merecem!

      PS.: E é mesmo - amanhã há mais novidades sobre isso ahah :)

      Eliminar
  18. Obrigada! ♥
    ÉS LINDA CARAGO... Grande post, não poderias ter dito melhor... concordo plenamente com tudo e sinto-me de forma tão parecida!
    http://keepcalmandshopvintage.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. *Oh pááá adorei esse CARAGO* :D you go, girl!

      Eliminar
  19. Aí está... deveria ser uma questão de ser ou não ser saudável e não de ser magro ou gordo. Corpo, todos temos um e se é legítimo lutarmos pelo corpo que queremos também o é aceitar o que temos. Ainda mais o é perceber que corpos perfeitos não existem e que devemos sempre questionar se estamos insatisfeitos por nós mesmos ou pelo que os outros pensam de nós.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Yep. Acho que o maior problema é mesmo quando nós próprios não vemos para além dos "defeitos" que julgamos que os outros vêem em nós. Porque paciência, acho que a maioria das pessoas sabe que não pode agradar a gregos e a troianos, mas às vezes a negatividade fica tão metida na nossa cabeça que não se consegue mesmo dar a volta...há que lutar contra isso!

      Eliminar
  20. Mal vi o teu ombro pensei logo em comentar o estado dele, como foi a conduzir eu até desculpo :p
    Concordo tanto com o que disseste. Há uns anos eu era incapaz de publicar fotos que publico hoje. É tão estranho (e bom!) olhar para trás e ver que consegui ultrapassar as minhas inseguranças e hoje me sinto bem comigo mesma. É uma vitória que temos contra o nosso eu mais mauzinho, e é a vitória que nos sabe melhor. Festejemos essa vitória sempre com sorrisos e com o aproveitar do verão!

    With love, Miss Melfe

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahah não podia deixar passar aquele escaldão em branco, é demasiado escandaloso! :p
      Que vitória tão boa mesmo! :D

      Eliminar
  21. Epaaa! Receber elogios fotográficos vindos de uma pessoa que tem um talento enorme para a fotografia é, no mínimo, fabuloso! Muito obrigado :D

    Sim, lá isso é verdade. É tudo uma questão de adaptação :D

    NEW DECOR POST | Tribal Decor Ideas.
    InstagramFacebook Oficial PageMiguel Gouveia / Blog Pieces Of Me :D

    ResponderEliminar
  22. Eu tinha que ler este artigo com calma e bem sentada.
    NUNCA gostei de andar de saias, nunca gostei de usar calções na rua ou vestidos. Sentia sempre que todas as pessoas me olhavam, que tinha algo de mal. Que parecia demasiado para mim (?). Que aquela roupa era para alguém que estivesse dentro daquele estereotipo. Sim porque, as próprias roupas o fazem.
    O meu namorado anda aos anos a dizer "mas usa isto, fica-te bem" e eu sempre a responder "não gosto/não quero porque se vê demasiado a perna, ou porque dá para notar demasiado as minhas curvas".
    E estive assim durante anos (mesmo anos).
    Depois de ter lido a primeira vez o teu artigo (portanto, esta é a terceira) fui às compras... No meio das peças dos saldos encontrei um top lindo, que quando fui a ver era um macacão, ia para pousa-lo. Mostrei ao meu namorado e ele disse "vai experimentar". Experimentei e olhei ao espelho, ele fica mesmo bem. Mas e as pernas? (e eu não tenho pernas gordas, antes pelo contrário, são musculadas mas tenho esterias de ter emagrecido estupidamente rápido).
    Trouxe o macacão, usei-o hoje. E quem me viu com ele, elogiou.
    Portanto, tinha que te dizer que este teu texto veio no momento certo!
    Obrigada Jiji ♥

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh minha Pêssega :') Não sei se te consigo explicar como o que tu escreveste me deixou feliz! O mais adequado seria um grande abraço e um enorme obrigada por teres vindo aqui contar este teu pequeno-enooooorme passo! Eu é que agradeço aqui <3

      Moça. Go for it! Bem sei que os primeiros passos são os mais difíceis. Está feito. Não tarda, vais andar por aí a usar o que queres e bem te apetece. Porque, na realidade, são muito poucas as pessoas que de facto vão julgar alguma coisa (e essas gostam de julgar até o que não tem nada para ser julgado, so...fuck them) ou sequer as que querem saber disso. Por norma, as que querem saber, são as que gostam de ti e por isso só te querem é ver feliz e a sentires-te bem! Tens que dar mais ouvidos ao teu rapaz, claramente :D <3

      Eliminar
  23. Joana, mas que orgulho deste texto! Seria algo que eu escreveria, sem sombra de dúvida! Eu sempre tive problemas de peso, sempre fui muito gordinha e apesar de estar muuuuuuito melhor fisicamente em relação ao meu eu do passado, também melhorei bastante psicologicamente. Identifiquei-me bastante com aquilo que escreveste, e embora ainda não me sinta completamente à vontade com certas coisas, roupas, situações; sinto que evoluí bastante e o meu objetivo é evoluir ainda mais! Continuarei a apostar no mais saudável, a praticar exercício (algo que passei a amar) e a cultivar a serenidade todos os dias, porque é como dizes, se não odiamos os outros, porquê odiarmo-nos a nós mesmos??
    Muitas felicidades e muitos parabéns por teres alcançado a paz que todos merecemos!
    Beijinhos!

    A Vida de Lyne

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Baby steps! É aos poucos que chegamos ao nosso estado de segurança - todos temos dias menos bons :) Obrigada <3 <3 <3

      Eliminar
  24. Como me revejo neste TEXTÃO! <3 É este o caminho que TODAS nós deveríamos seguir, passo a passo, despir-nos das nossas inseguranças e abraçar o FANTÁSTICO CORPO que temos, que nos permite ser quem somos! <3 Fico feliz por te saber muito mais segura, Joana!

    beijinhos, Nádia
    My Fashion Insider

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Nádia! Tu também tens muitos louros nisto - as tuas reflexões sobre este assunto tocam sempre cá no meu coraçãozinho :) Obrigada por isso <3

      Eliminar